Filmes por gênero

IDÍLIO PROIBIDO (1956)

Hilda Crane
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Medo de amar (Portugal)
L'impudique (França)
Paura d'amare (Itália)
El regreso de Hilda Crane (Espanha)
Die Männer der Hilda Crane (Austria, Alemanha)
Skamlös kvinna (Suécia)
Poltetuin siivin (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Philip Dunne
Roteiro: Philip Dunne
Produção: Herbert B. Swope Jr.
Música Original: David Raksin
Direção Musical: Lionel Newman
Fotografia: Joseph MacDonald
Edição: David Bretherton
Direção de Arte: Lyle R. Wheeler, Albert Hogsett
Figurino: Charles Le Maire
Maquiagem: Ben Nye
Efeitos Sonoros: Murray Jarvis, Harry M. Leonard
Efeitos Visuais: Ray Kellogg
Nota: 7.8
Filme Assistido em: 1957

Elenco

Jean Simmons Hilda Crane Burns
Guy Madison Russell Burns
Jean-Pierre Aumont Prof. Jacques De Lisle
Judith Evelyn Sra. Stella Crane
Evelyn Varden Sra. Burns
Peggy Knudsen Nell Bromley
Gregg Palmer Dink Bromley
Richard Garrick Dr. Joe Francis
Jim Hayward Sr. Small
Sandee Marriott Taxista
Don Shelton Sr. Jensen
Helen Mayon Maureen, empregada de Hilda
Marie Blake Clara
Jay Jostyn Ministro
Jerry Mann Estudante
John Marshall Gus Nordlinger
Stephen Papich Atendente da ambulância
Ray Montgomery Conhecido de Hilda no trem

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Duas vezes divorciada, Hilda Crane retorna para a casa da família após uma ausência de cinco anos. Ela é criticada por sua mãe, Stella, que não aprova sua forma independente de levar a vida, como se fosse um homem. Tendo passado os últimos anos em Nova York, sem realmente ser feliz, ela decidiu passar uma temporada na pequena Winona. Dias depois, ao receber uma proposta de seu antigo pretendente, Russell Burns, agora um construtor de sucesso, ela é incentivada a ir em frente pela Sra. Crane. Logo depois, a Sra. Burns, mãe excessivamente possessiva de Russell, visita a Sra. Crane para saber quais são as reais intenções de Hilda.

Atrapalhada com o incidente, Hilda concorda em jantar com Jacques De Lisle, seu antigo professor e admirador. Depois do jantar, ele despeja sua mágoa por ter sido trocado por um jogador de futebol, cinco anos antes. Em seguida, quando ele a abraça apaixonadamente, Hilda declara que deseja casamento, e não sexo. Como ele não concorda com sua idéia, ela telefona para Russell, aceitando sua proposta. Embora saiba que a filha não sente amor por Russell, a Sra. Crane sente-se feliz com sua decisão.

Após o ensaio da cerimônia de casamento, a Sra. Burns informa Hilda que a investigou, ameaçando expor seu passado sórdido ao filho. Logo depois, Jacques, que havia ido à Nova York lançar um novo romance, retorna à Winona e propõe à Hilda. Incerta em relação à sua decisão de se casar com Russell, ela direciona sua frustração para Jacques. Depois que a Sra. Crane informa Russell a respeito da indecisão da filha, ele mostra à Hilda a casa que está construindo para eles e declara que sabe tudo sobre seu passado que, para ele, nunca existiu. No dia do casamento, a Sra. Burns vai à casa de Hilda e lhe oferece US$50.000 para deixar a cidade. Quando ela recusa sua proposta, a Sra. Burns a chama de prostituta e, em seguida, alega estar tendo um ataque cardíaco. Acreditando que ela esteja blefando, Hilda e a Sra. Crane a deixam ofegante, em uma cadeira, e se dirigem para a igreja.

Depois da cerimônia, elas tomam conhecimento de que a Sra. Burns realmente sofreu um ataque cardíaco e que se acha morrendo no hospital. Com a morte da Sra. Burns, os recém-casados cancelam sua lua de mel e abandonam os planos da nova casa. Como consequência, Hilda começa a se culpar e a beber pesadamente, e cinco meses depois, ela e Russell continuam morando na casa da família dele, que se tornou distante e pouco comunicativo, sentindo-se culpado pela morte da mãe.

Quando Russell deixa Hilda ir à Denver a negócios, ela assiste uma palestra de Jacques, que foi à cidade para promover seu novo livro. Após a palestra, ela se junta a um grupo onde se acham sua amiga Nell Bromley, o marido Dink e Jacques. Quando o casal é chamado para um jantar de negócios, ela concorda em acompanhar Jacques até seu quarto, numa pousada. Ao retornar para casa, Hilda é repreendida por sua mãe, face ao seu comportamento desonroso. Como sua mãe continua a censurá-la, ela vai até o banheiro, onde toma um frasco inteiro de pílulas para dormir. Algum tempo depois, ao encontrá-la inconsciente, Russell chama o Dr. Joe Francis que passa a noite lutando para salvar sua vida. Na manhã seguinte, depois de anunciar que Hilda sobreviverá, o médico procura saber quem a fez desejar a morte.

Depois que o médico vai embora, Russell acusa a Sra. Crane de ser a responsável pelos problemas de Hilda, a ponto de recorrer a medidas desesperadas. Na ocasião, ele admite que também falhou. Algum tempo depois, completamente recuperada, Hilda se prepara para voltar à Nova York, quando percebe a falta do retrato da Sra. Burns. Em sua casa ainda inacabada, ela encontra o marido a supervisionar uma equipe de construção. Na ocasião, ele comenta que a casa deverá estar pronta em três meses, quando eles estarão voltando de sua viagem de lua de mel. Felizes, os dois se abraçam.

imagem

Comentários

Baseado numa peça de Samson Raphaelson, que estreou na Broadway em novembro de 1950, “Idílio Proibido” é um filme norte-americano produzido por Herbert B. Swope Jr. para a Twentieth Century Fox Film Corporation em 1956. Escrito e dirigido pelo cineasta Philip Dunne, sua trama acompanha a vida de uma jovem mulher que, após dois casamentos fracassados, retorna à sua cidade onde retoma um antigo relacionamento amoroso.

Na direção, Dunne realiza um trabalho mediano, pecando principalmente pelo ritmo imposto à narrativa. Em contrapartida, a fotografia assinada por Joseph MacDonald é de muito boa qualidade. No elenco, Evelyn Varden brilha no papel da Sra. Burns, seguida pela ótima atuação de Jean Simmons.

CAA