Filmes por gênero

QUERO-TE, MEU AMOR (1953)

Affair with a stranger
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Cuidado com o teu marido (Portugal)
Commérages (França)
Le retour à l'amour (Bélgica)
L'amore che c'incatena (Itália)
Ein Mann ohne Bedeutung (Alemanha)
Rendez-vous te middernacht (Holanda)
Nain heittiön (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Comédia Romântica
Direção: Roy Rowland
Roteiro: Richard Flournoy
Produção: Robert Sparks
Música Original: Roy Webb
Direção Musical: C. Bakaleinikoff
Fotografia: Harry J. Wild
Edição: George Amy
Direção de Arte: Albert S. D'Agostino, Feild M. Gray
Figurino: Michael Woulfe
Guarda-Roupa: Robert B. Harris, Lillian Orr
Maquiagem: Mel Berns
Efeitos Sonoros: Clem Portman, John C. Grubb
Efeitos Visuais: Harold E. Wellman
Nota: 7.6
Filme Assistido em: 1960

Elenco

Jean Simmons Carolyn Parker
Victor Mature Bill Blakeley
Mary Jo Tarola Dolly Murray
Monica Lewis Janet Boothe
Jane Darwell Ma Stanton
Wally Vernon Joe, motorista de taxi
Nicholas Joy Produtor George W. Craig
Olive Carey Cynthia Craig
Victoria Horne Sra. Wallace
Lillian Bronson Srta. Crutcher
George Cleveland Pop
Billy Chapin Timmy
Frank Wilcox Dr. Strong
Mary Jane Carey Edith
Theodore von Eltz Sr. Culpepper
Henny Backus Lucy Lawson
Eileen Howe Secretária
Jack Chefe Jacques, Chef do restaurante
William H. O'Brien Garçom do Restaurante
William J. O'Brien Barman
Phyllis Godfrey Anna
Stewart Nedd Bob
Dick Ryan Hammond
Michael St. Angel Frank

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Num trem para a Filadélfia, a atriz Janet Boothe flerta com o célebre dramaturgo da Broadway, Bill Blakeley, cuja última peça ela está estrelando, mas é gentilmente rejeitada por ele. Mais tarde, de seu hotel na Filadélfia, Bill telefona para sua esposa, Carolyn, a quem pede que venha para assistir a estréia. Quando Carolyn se desculpa por não poder estar lá, Bill fica bravo e desliga. Ele, então, procura Janet e a convida para jantar.

Satisfeita, Janet procura a colunista de fofocas, Lucy Lawson, em uma estação de televisão, e relata que os Blakeleys estão se divorciando. Embora não consiga verificar a veracidade da informação, Lucy anuncia o problema conjugal dos Blakeleys e escreve sobre a matéria em sua coluna.

Mais tarde, em sua banca de jornal de Nova York, Pop fala para um cliente curioso sobre a primeira vez que viu Carolyn Parker, anos antes, quando Bill era um escritor lutador. Era véspera de Ano Novo, na Times Square, quando Bill e Carolyn se encontraram em sua banca de jornais. Continuando, Pop diz ao seu cliente que comentou com Bill que Carolyn sempre comprava um jornal de Toledo. Bill, então, ao encontrá-la, fingiu ser um conhecido de Toledo e a beijou no meio da noite. Quando ela se afastou bruscamente, ele lhe pediu desculpas e, por sua vez, ela revelou que o jornal era para um vizinho, sugerindo que ele telefonasse para ela marcando um encontro.

Pop conclui sua história e, algum tempo depois, os dois se casam, embora ele tenha dificuldades para conseguir um bom emprego, situação agravada por seu vício em jogo de pôquer. A falta de dinheiro o incomoda e, cansado de viver à custa da mulher, ele termina aceitando um trabalho como garçom. Certa noite, ao encontrar George Craig, um produtor da Broadway, ele fornece uma cópia de sua nova peça. Depois de examiná-la, o produtor se interessa pelo material e compra os seus direitos para alívio financeiro de Bill.

Algum tempo depois, quando da estreia da peça, Carolyn não pode comparecer ao evento por entrar, em trabalho de parto, dois meses antes da data prevista. O bebê nasce morto e ela fica devastada ao ser informada de que não poderá ter mais filhos. Quando ela cai em uma forte depressão, Bill decide trazer Timmy, um garoto de oito anos cuja mãe foi hospitalizada, para a casa de Long Island. Carolyn gosta de cuidar do garoto e, quando a mãe dele morre inesperadamente, eles o adotam.

Pouco antes da estreia da peça na Filadélfia, Craig e sua esposa Helen comentam os problemas conjugais dos Barkeleys, ocasião em que ele lembra que, em todas as suas peças, Bill sempre trabalhou com Janet Boothe. Horas antes da estreia, Bill recebe um telefonema de Carolyn informando-lhe que não vai poder comparecer à estreia porque Timmy se encontra com dor de dente. Aproveitando seu desapontamento, Janet lhe dá um beijo apaixonado.

Enquanto isso, Helen consegue convencer Carolyn a pegar um trem para a Filadélfia. Por outro lado, quando Bill está prestes a ir ao encontro de Janet, ele lê a coluna da fofoqueira Lucy Lawson e entra em pânico. Assim, horas depois, o casal se reencontra, ocasião em que ele jura que foi fiel e ela chora de alívio.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Roy Rowland, a partir de um roteiro escrito por Richard Flournoy, “Quero-te, meu amor” é um filme norte-americano produzido pela RKO Radio Pictures em 1953. Sua trama, narrada grande parte em flashback, apresenta um bom ritmo do início ao fim.

Na direção, Rowland realiza um trabalho razoavelmente bom, o mesmo ocorrendo com a fotografia em preto e branco assinada por Harry J. Wild. No elenco, o grande destaque é Jean Simmons, com uma boa atuação. Já Victor Mature me pareceu não ter sido uma boa escolha para o papel. Talvez um bom nome para seu personagem fosse, por exemplo, Cary Grant.

CAA