Filmes por gênero

QUE MAL FIZ EU A DEUS? 2014

Qu'est-ce qu'on a fait au bon Dieu?
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Non sposate le mie figlie! (Itália)
Dios mío, ¿pero qué te hemos hecho? (Espanha)
Dios Mío ¿Qué hemos hecho? (Argentina, México)
Monsieur Claude und seine Töchter (Alemanha)
Bröllopskaos (Suécia)
Za jakie grzechy, dobry Boze? (Polônia)
Bryllupskaos (Dinamarca)
Безумная свадьба (Rússia)
Pais: França
Gênero: Comédia
Direção: Philippe de Chauveron
Roteiro: Philippe de Chauveron
Produção: Romain Rojtman
Design Produção: François Emmanuelli
Música Original: Marc Chouarain
Direção Musical: Gisèle Gérard-Tolini
Fotografia: Vincent Mathias
Edição: Sandro Lavezzi
Figurino: Eve-Marie Arnault
Guarda-Roupa: Elsa Le Guichard
Maquiagem: Magali Ceyrat
Efeitos Sonoros: Samuel Cohen, Serge Rouquairol, Pierre Picq e outros
Efeitos Especiais: François Philippi, Bruno Lefebvre
Efeitos Visuais: Ludivine Ducrocq, Alain Bignet, Thierry Delobel, Virginie Wintrebert
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 2015

Elenco

Christian Clavier Claude Verneuil
Chantal Lauby Marie Verneuil
Ary Abittan David Benichou
Medi Sadoun Rachid Benassem
Frédéric Chau Chao Ling
Noom Diawara Charles Koffi
Frédérique Bel Isabelle Verneuil, esposa de Benassem
Julia Piaton Odile Verneuil, esposa de Benichou
Emilie Caen Ségolène Verneuil, esposa de Ling
Elodie Fontan Laure Verneuil
Pascal N'Zonzi André Koffi
Salimata Kamate Madeleine Koffi
Tatiana Rojo Viviane Koffi
Loïc Legendre Pároco de Chinon
Elie Semoun O psiquiatra
David Salles Policial de Chinon
Nicolas Wanczycki Banqueiro
Frédéric Saurel Confeiteiro de Chinon
Nicolas Buchoux Xavier Dupuy
Catherine Giron Josiane, a empregada de Verneuil
Nicolas Beaucaire Médico de Chinon
Hugues Martel Prefeito de Chinon
Isaac Sharry O Rabino
Benoît Berthon Controlador da SNCF
Lyron Darmon Benjamin Benichou
Selim Draoui Lucas Benassem

Prêmios

Prêmios Lumière, França

Prêmio Lumière de Melhor Roteiro (Philippe de Chauveron, Guy Laurent)

Indicações

Prêmios Goya - Academia Espanhola, Espanha

Goya de Melhor Filme Europeu (Philippe de Chauveron)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Claude e Marie Verneuil formam um casal de burgueses católicos que vivem em Chinon, no Vale do Loire. Pais de Isabelle, Odile, Ségolène e Laure, seu maior desejo era que suas quatro filhas se casassem com pessoas que se encaixassem em seus parâmetros conservadores.

No entanto, para sua desilusão, as três mais velhas escolhem para maridos: Rachid Benassem, um advogado muçulmano de origem argelina; David Benichou, um empresário judeu desempregado; e Chao Ling, um banqueiro de origem chinesa.

Em nome da harmonia familiar e da felicidade das filhas, Claude e Marie acolhem-nos, mas, apesar de todos os seus esforços, não conseguem esconder o desconforto que sentem com a situação. Para eles, sua última esperança é a caçula, Laure. Eles chegam a promover o encontro dela com um jovem branco, de uma conhecida família burguesa, que trabalha na área de finanças nos Estados Unidos. O que eles ignoram é que Laure já mantém, há mais de um ano, um relacionamento afetivo com um jovem ator negro, e que o casal tem a intenção de oficializar sua união.

De qualquer forma, quando a caçula anuncia que decidiu se casar com um jovem católico, Claude e Marie finalmente respiram aliviados. No entanto, esse alívio não dura mais que dois dias, quando a filha lhes apresenta seu noivo, Charles Koffi, um negro africano da Costa do Marfim.

Chocados, Marie entra em depressão, iniciando um tratamento com um psiquiatra, enquanto Claude decide partir para a ação e sabotar o casamento da filha. Nesse processo, ele vai contar com a ajuda do pai de Charles, um antigo militar intolerante e ressentido por conta da colonização da África pelo europeu.

imagem

Comentários

Escrita e dirigida pelo cineasta Philippe Chauveron, “Que Mal Fiz Eu a Deus?” é uma ótima e inteligente comédia do cinema francês. Sua trama procura abordar preconceitos e expectativas sociais presentes na sociedade francesa. A diversidade étnica favorece a abertura a diversas situações cômicas.

Com diálogos muito bem escritos e mantendo um ótimo ritmo, Chauveron nos brinda com um excelente trabalho, como roteirista e diretor, no que é ajudado por um elenco de primeira linha, onde se destacam as atuações de Christian Clavier, Chantal Lauby e Pascal N’Zonzi.

Enfim, “Que Mal Fiz Eu a Deus?” procura nos mostrar que temas um tanto delicados, mas tratados com um humor tão original e sutil, podem nos ajudar a vivermos juntos apesar das diferenças. No que tange ao preconceito racial, é interessante observarmos que ele não está apenas presente nos pais da noiva, mas também no negro, pai de seu futuro genro.

CAA