Filmes por gênero

O HOMEM QUE COPIAVA (2003)

imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'homme qui photocopiait (França)
The man who copied (Estados Unidos)
Der mann, der kopierte (Alemanha)
El hombre que copiaba (Argentina)
L'uomo che copiava (Itália)
Czlowiek, który kopiowal (Polônia)
O anthropos pou ekane fototypies (Grécia)
Чeловек, который копировал (Rússia)
Pais: Brasil
Gênero: Comédia, Crime, Drama, Romance
Direção: Jorge Furtado
Roteiro: Jorge Furtado
Produção: Nora Goulart, Luciana Tomasi, Carlos Eduardo Rodrigues
Design Produção: Silvia Guerra
Música Original: Leo Henkin
Direção Musical: Leo Henkin
Fotografia: Alex Sernambi
Edição: Giba Assis Brasil
Direção de Arte: Fiapo Barth
Figurino: Rosângela Cortinhas
Maquiagem: Nina Empinotti, Sandro Rosa
Efeitos Sonoros: Cristiano Scherer, Luiz Adelmo, Guilherme Algarve
Efeitos Especiais: Cláudio Braga
Efeitos Visuais: Renato Merlino, Eduardo Sallas, Robson Sartori, Marcelo Siqueira
Nota: 8.7
Filme Assistido em: 2006

Elenco

Lázaro Ramos André
Leandra Leal Sílvia
Luana Piovani Marinês
Pedro Cardoso Cardoso
Carlos Cunha Antunes
Júlio Andrade Feitosa
Paulo José Paulo
Tereza Teixeira Mãe de André
Renato Campão Gerente do supermercado
Sérgio Lulkin Sub-gerente do supermercado
Renata de Lélis Caixa do supermercado
Nadya Mendes Caixa do supermercado
Irene Brietzke Cliente do supermercado
Alexandre Cebola Guarda do Carro-forte
Antônio Carlos Falcão Recepcionista do hotel
Giovana Fázio Garota na papelaria
Ana Paula Serpa Caixa da lotérica
Sandra Possani Caixa do banco
Heitor Schmidt Gomide
Janaína Kremer Motta Dona Maria
Milene Zardo Vendedora
Luciana Éboli Atendente da loja

Prêmios

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Pedro Cardoso)

Prêmio de Melhor Direção (Jorge Furtado)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Luana Piovani)

Prêmio de Melhor Filme (Jorge Furtado)

Prêmio de Melhor Edição (Giba Assis Brasil)

Prêmio de Melhor Roteiro Original (Jorge Furtado)

Festival de Cinema de Havana, Cuba

Prêmio de Melhor Ator (Lázaro Ramos )

Associação Paulista de Críticos de Arte

Prêmio de Melhor Filme (Jorge Furtado)

Prêmios ACIE, Brasil

Prêmio ACIE de Melhor Filme (Jorge Furtado)

Festival Cinequest San Jose - San Jose, Califórnia , USA

Prêmio Maverick Spirit (Jorge Furtado)

Festival do Cinema Latinoamericano de Lima, Peru

Prêmio Elcine Second (Jorge Furtado)

Festival Internacional de Kerala, Índia

Prêmio Silver Crow Pheasant (Jorge Furtado)

Festival do Cinema Brasileiro em Paris

Prêmio do Público (Jorge Furtado)

Prêmios Guarani, Brasil

Prêmio Guarani de Melhor Filme (Jorge Furtado)

Prêmio Guarani de Melhor Diretor (Jorge Furtado)

Prêmio Guarani de Melhor Ator (Lázaro Ramos)

Prêmio Guarani de Melhor Roteiro Original (Jorge Furtado)

Prêmio Guarani de Melhor Edição (Giba Assis Brasil)

Festival de Cinema do SESC, Brasil

Prêmio do Público de Melhor Direção (Jorge Furtado)

Prêmio do Público de Melhor Ator (Lázaro Ramos)

Prêmio da Crítica de Melhor Filme (Jorge Furtado)

Prêmio da Crítica de Melhor Direção (Jorge Furtado)

Prêmio da Crítica de Melhor Ator (Lázaro Ramos)

Associação dos Críticos de Arte de São Paulo

Prêmio de Melhor Filme (Jorge Furtado)

Indicações

Prêmios ACIE, Brasil

Prêmio ACIE de Melhor Diretor (Jorge Furtado)

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Ator (Lázaro Ramos)

Prêmio de Melhor Direção de Arte (Fiapo Barth)

Festróia - Festival Internacional Cinema de Tróia, Portugal

Prêmio Golden Dolphin (Jorge Furtado)

Festival Internacional de Kerala, Índia

Prêmio Golden Crow Pheasant (Jorge Furtado)

Prêmios Guarani, Brasil

Prêmio do Público de Melhor Filme (Jorge Furtado)

Prêmio Guarani de Melhor Atriz (Leandra Leal)

Prêmio Guarani de Melhor Atriz Coadjuvante (Luana Piovani)

Prêmio Guarani de Melhor Fotografia (Alex Sernambi)

Prêmio Guarani de Melhor Música (Leo Henkin)

Prêmio Guarani de Melhor Som (Luiz Adelmo Manzano)

Prêmio Guarani de Melhor Direção de Arte (Fiapo Barth)

Prêmio Guarani de Melhores Efeitos Visuais (Robson Sartori, Marcelo Siqueira, Eduardo Sallas)

Prêmios Qualidade

Prêmio de Melhor Filme - Rio de Janeiro (Jorge Furtado)

Prêmio Qualidade de Melhor Ator - Rio de Janeiro (Lázaro Ramos)

Prêmio Qualidade de Melhor Atriz - Rio de Janeiro (Leandra Leal)

Prêmio Qualidade de Melhor Diretor - Rio de Janeiro (Jorge Furtado)

Prêmio Qualidade de Melhor Filme - São Paulo (Jorge Furtado)

Prêmio Qualidade de Melhor Ator - São Paulo (Lázaro Ramos)

Sinopse

Nos fundos de uma pequena loja, num subúrbio de Porto Alegre, André passa o dia tirando cópias de documentos numa fotocopiadora. Num balcão, Marinês, uma jovem e bela mulher, atende à clientela. Ao terminar o expediente, ele volta para casa, onde sonha em um dia ter dinheiro e poder chegar perto da menina dos seus sonhos que, à noite, é observada por ele através de um binóculo. Ela chama-se Silvia, órfã de mãe, que trabalha para ajudar o padrasto com as despesas da casa. Apaixonado perdidamente por ela, no entanto, a única forma que André encontra para se aproximar dela é comprando um chambre na loja em que ela trabalha.
 
Certo dia, ao conseguir uma nota de R$ 50,00, ele tira uma cópia e consegue trocá-la por dinheiro vivo numa loja lotérica. Por outro lado, ao descobrir que o padrasto de Sílvia rouba seu dinheiro e a observa pelo buraco da fechadura, enquanto ela toma banho, ele resolve assaltar um carro forte de um Banco. Seu plano é conseguir dinheiro suficiente para tirar Sílvia daquela vida. Num golpe de sorte, ele também acerta os seis números da Mega Sena e se torna milionário.
 
Silvia, por outro lado, possui uma personalidade parecida com a de André. Possui um trabalho pouco promissor que exige pouquíssimo de sua capacidade. Sai de casa cedo e só volta tarde da noite, pois possue sérios problemas familiares. A mãe morreu aos 41 anos de idade e é vítima do padrasto, Antunes. Frente a essa existência infeliz, ela toma uma atitude decisiva e radical: matar o padrasto.
 
Já Cardoso e Marinês, apesar de serem os melhores amigos de André e Silvia, são completamente diferentes deles. São mais divertidos e falantes. Mesmo conhecedora de seus dotes físicos, Marinês não os utiliza para enriquecer e pretende se manter virgem até o casamento. Já Cardoso, finge ser o que não é e ter o que não tem, para impressionar as pessoas. As diferenças entre eles se tornam mais evidentes quando os três se unem para receber e usufruir do prêmio da Mega Sena. Cardoso compra roupas e objetos espalhafatosos e uma Mercedes conversível. Marinês prefere as roupas sexy, os calçados caros e arruma o cabelo. Ao encontra Cardoso, reclama que o carro é prata e não preto, o que combinaria melhor com o vestido que está usando. Já André, apesar de também comprar roupas, fica mais envolvido com papéis, canetas e lapis para seus desenhos.Também resolve comprar uma luneta de maior alcance em substituição ao velho binóculo. 
 
Finalmente, Sílvia e André descobrem-se apaixonados e resolvem se casar.

imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo cineasta gaúcho Jorge Furtado, "O Homem que Copiava" é um excelente filme nacional produzido pela Casa de Cinema de Porto Alegre, juntamente com a Globo Filmes.
 
Na direção, demonstrando seu completo domínio da câmera, Furtado nos brinda com um belíssimo trabalho, no que é ajudado pela excelente fotografia, a cargo de Alex Sernambi, e pelo belo trabalho de edição assinado por Giba Assis Brasil.
 
No elenco, o maior destaque é, sem nenhuma dúvida, Lázaro Ramos, com uma atuação perfeita, seguido pelas ótimas atuações de Leandra Leal, Luana Piovani e Pedro Cardoso. 
 
Enfim, "O Homem que Copiava" é um filme nacional que recomendo fortemente.
 
CAA