Filmes por gênero

POTICHE - ESPOSA TROFÉU (2010)

Potiche
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Potiche - La bella statuina (Itália)
Potiche - Minha rica mulherzinha (Portugal)
Potiche, mujeres al poder (Espanha)
Mujeres al poder (Argentina)
Das Schmuckstück (Alemanha)
Pais: França
Gênero: Comédia
Direção: François Ozon
Roteiro: François Ozon
Produção: Eric Altmeyer, Nicolas Altmeyer
Música Original: Philippe Rombi
Edição: Laure Gardette
Figurino: Pascaline Chavanne
Guarda-Roupa: Natasha Francotte, Daniel Bihin
Maquiagem: Aurélie Elich
Efeitos Sonoros: Pascal Jasmes, Jean-Alexandre Villemer, S. Vizet e outros
Efeitos Visuais: Berengere Dominguez
Nota: 7.8
Filme Assistido em: 2011

Elenco

Catherine Deneuve Suzanne Pujol
Gérard Depardieu Maurice Babin
Fabrice Luchini Robert Pujol
Karin Viard Nadège
Judith Godrèche Joëlle
Jérémie Rénier Laurent Pujol
Sergi López Caminhoneiro espanhol
Évelyne Dandry Geneviève Michonneau
Bruno Lochet André
Elodie Frégé Suzanne, jovem
Gautier About Babin, jovem
Jean-Baptiste Shelmerdine Robert, jovem
Noam Charlier Flavien
Martin De Myttenaere Stanislas
Yannick Schmitz Jean-François
Christine Desodt Pilar
Jean-Louis Leclercq Médico
Alexandre Chaidron Jornalista
Nathalie Laroche Colega de Nadège
John Flanders Acionista inglês
Pierre Barillet Acionista
Yvan Coene Gunnar, o tenista
Sinead Shannon Roche Sra. Marquiset

Sinopse

Na primavera de 1977, numa província francesa, Suzanne Pujol é a esposa burguesa submissa de um rico industrial, Robert Pujol. Ele dirige uma fábrica de guarda-chuvas com mão de ferro, fábrica essa que na realidade é fruto da herança que Suzanne recebeu de seu pai. Robert é um homem desagradável e autoritário com seus funcionários, seus filhos e sua esposa. Esta é considerada por ele uma simples mulher que tem um papel de representação, mas sem qualquer poder de decisão.

Seu filho, Laurent, a procura para dizer-lhe que se acha apaixonado por Floriane, filha única da Sra. Marquiset, dona da confeitaria da Place de la Cathédrale. Segundo ele, os dois têm planos para se casarem tão logo tenham condições. Ao tomar conhecimento das intenções do filho, Robert se mostra radicalmente contra o casamento, por acreditar que os dois jovens são irmãos, uma vez que Floriane é fruto de uma relação extraconjugal sua com a Sra. Marquiset.

Após os trabalhadores entrarem em greve e seqüestrarem Robert, Suzanne procura o deputado comunista Maurice Babin, um ex-amante seu, a quem pede que interceda para conseguir a soltura de seu marido. Embora se mostre em princípio contra, pelo que Robert representa, Babin termina fazendo com que os grevistas o liberem sob a condição de terem seus pleitos atendidos.

Quando Babin vai à casa dos Pujol para conversar sobre as reivindicações dos trabalhadores, Robert se descontrola ao saber que os empregados estão a par de uma série de falcatruas por ele praticadas, sofrendo um sério ataque cardíaco que o obriga a ser imediatamente levado para a emergência de um hospital. Diante de tal situação, é sugerido que Suzanne assuma temporariamente o controle da fábrica, já que ela é a 2ª maior acionista, além de ser filha do fundador e esposa do atual presidente.

Aceitando o desafio, o primeiro ato de Suzanne é o de levar seus dois filhos, Laurent e Joëlle, para serem seus principais assessores, fato impensável na administração de Robert. Joëlle é casada e vê nessa atitude da mãe a oportunidade para manter seu casamento, ameaçado pelo fato do marido viver sempre a viajar, como forma de conseguir o sustento da família.

À frente da administração da fábrica, Suzanne demonstra uma liderança nata. Com bastante habilidade, ela coloca um fim à greve, melhora as condições de trabalho dos empregados e consegue obter uma maior produtividade da empresa.

Três meses depois, quando Robert volta pra casa, ela o informa que não lhe vai devolver o cargo, uma vez que, além de suas ações, ela conta com as dos filhos e dos acionistas minoritários, num total de 55% do total. Adicionalmente, ela lhe sugere que procure assistir televisão durante as tardes, e lhe comunica que Laurent e Floriane podem se casar, uma vez que Laurent é um filho que ela teve fora do casamento.

Robert tenta subornar Babin, acreditando que Laurent seja filho dele com Suzanne. Super feliz com a idéia de ser pai, o deputado a procura para ter a confirmação de que Laurent é seu filho. Entretanto, torna-se extremamente desapontado e agressivo quando Suzanne lhe diz que o pai de Laurent é o Dr. Balestra, tabelião da cidade.

Inconformado com a notícia, Babin se volta contra Suzanne, acusando-a de estar utilizando uma política pior que a do marido e, com isso, fazendo com que os empregados da fábrica se unam contra ela e entrem novamente em greve. Aproveitando-se da situação, Robert chantageia sua filha em troca do seu voto na reunião do Conselho de Administração que vai ser convocado por ele. Assim, ao ocorrer a tal reunião, onde Robert propõe o afastamento de Suzanne em seu benefício, Joëlle vota a favor do pai, que retoma a Presidência com 55% das ações da fábrica, sendo 45% dele e 10% da filha.

Meses depois, Suzanne decide enfrentar Babin nas eleições para o legislativo. O marido e a filha acham que ela ficou louca. Apenas Laurent fica do seu lado, como sempre, para lhe dar força. Enquanto a campanha se desenvolve, ela entra com um pedido de divórcio contra Robert. Realizadas as eleições, ela é proclamada vencedora, a nova deputada da França. Nadège, secretária de Robert, diz a amigos que vai morar em Paris, onde será assistente parlamentar de Suzanne.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseada numa peça de Pierre Barillet e Jean-Pierre Grédy, “Potiche – Esposa Troféu” é uma divertida comédia do cinema francês. Adaptada para a telona pelo cineasta François Ozon, sua trama gira em torno de uma esposa burguesa e inteiramente submissa ao marido que, de uma hora para outra, demonstra ser uma executiva de primeira linha, dotada de uma rara habilidade e de uma liderança nata.

Na direção, Ozon realiza um ótimo trabalho. Merece ainda atenção a bela trilha sonora de Philippe Rombi. No elenco, Catherine Deneuve está simplesmente perfeita, dominando cada cena da qual participa. De quebra, ela canta a bela canção “C’est Beau la Vie”, de Gilbert Becaud. Gérard Depardieu e Fabrice Luchini estão ótimos em seus respectivos papéis, mas longe de se igualarem à Deneuve. Karin Viard, uma das mais populares atrizes da França, compõe um dos melhores personagens do filme, o da secretária.

Enfim, “Potiche – Esposa Troféu” revela-se uma agradável surpresa, uma pequena jóia de bom gosto, uma comédia que merece ser vista.

CAA