Filmes por gênero

VÍCIO MALDITO (1962)

Days of wine and roses
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Escravos do vício (Portugal)
Le jour du vin et des roses (França)
I giorni del vino e delle rose (Itália)
Días de vino y rosas (Espanha, México)
Die tage des weines und der rosen (Alemanha)
Stärker als alle Vernunft (Austria)
Dagen efter rosorna (Suécia)
Dni wina i róz (Polônia)
Hektiske dage (Dinamarca)
Дни вина и роз (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Blake Edwards
Roteiro: J.P. Miller
Produção: Martin Manulis
Música Original: Henry Mancini
Fotografia: Philip H. Lathrop
Edição: Patrick McCormack
Direção de Arte: Joseph C. Wright
Figurino: Donfeld
Guarda-Roupa: Florence Albert, Forrest T. Butler
Maquiagem: Gordon Bau
Efeitos Sonoros: Jack Solomon
Efeitos Especiais: Horace L. Hulburd
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 1967

Elenco

Jack Lemmon Joe Clay
Lee Remick Kirsten Arnesen Clay
Charles Bickford Ellis Arnesen
Jack Klugman Jim Hungerford
Alan Hewitt Rad Leland
Tom Palmer Ballefoy
Debbie Megowan Debbie Clay
Maxine Stuart Dottie
Jack Albertson Trayner
Roger Barrett Abe
Gail Bonney Gladys
Jennifer Edwards Debbie Clay aos 5 anos
James Lanphier Príncipe
Doye O'Dell Charlie Deans
Katherine Squire Sra. Nolan
Charles Wood Médico
Russell Custer Membro dos Alcoólicos Anônimos
Mathew McCue Membro dos Alcoólicos Anônimos
Lisa Guiraut Dançarina do Ventre
Jack Riley Garçom
Olan Soule Ascensorista
Mary Benoit Inquilina
Ella Ethridge Inquilina
Rita Kenaston Inquilina
Pat O'Malley Inquilino
Robert Shaw Inquilino

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Canção Original (Henry Mancini, Johnny Mercer)

Festival Internacional de San Sebastián, Espanha

Prêmio OCIC (Blake Edwards)

Prêmio San Sebastián de Melhor Ator (Jack Lemmon)

Prêmio San Sebastián de Melhor Atriz (Lee Remick)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Drama

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator em um Drama (Jack Lemmon)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama (Lee Remick)

Prêmios Sant Jordi de Barcelona

Prêmio de Melhor Ator Estrangeiro (Jack Lemmon)

Fotogramas de Plata, Madrid, Espanha

Fotogramas de Plata de Melhor Ator Estrangeiro (Jack Lemmon)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator (Jack Lemmon)

Oscar de Melhor Figurino em Branco e Preto (Donfeld )

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Joseph C. Wright, George James Hopkins)

Oscar de Melhor Atriz (Lee Remick)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme (Estados Unidos)

Prêmio de Melhor Ator Estrangeiro (Jack Lemmon)

Prêmio de Melhor Atriz Estrangeira (Lee Remick)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Direção (Blake Edwards)

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Lee Remick)

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Jack Lemmon)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante (Charles Bickford)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Canção (Henry Mancini, Johnny Mercer)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Joe Clay, um executivo beberrão da área de relações públicas, conhece e se apaixona pela secretária Kirsten Arnesen, que adora chocolates e não suporta bebidas alcoólicas. Levada por ele, no entanto, em pouco tempo ela passa a admitir que tomar uma dose de conhaque lhe faz sentir bem. Apesar das apreensões do Sr. Ellis Arnesen, pai de Kirsten, que tem um negócio ligado à área de paisagismo, eles se casam e têm uma filha, Debbie.

O casal, cada vez bebendo mais, passa a enfrentar problemas de toda sorte, a ponto de Joe perder cinco empregos nos quatro anos que se seguem. Certo dia, enquanto bebia, Kirsten provoca um incêndio em seu apartamento que, por pouco, não matou sua filha e ela própria.

Dias depois, ao passar por um bar, Joe vê seu reflexo num espelho e percebe, horrorizado, que mal conhece seu próprio rosto. Ao chegar em casa, ele diz à esposa que os dois devem parar de beber, com o que ela relutantemente concorda. Assim, buscando escapar do vício, o casal vai trabalhar com o Sr. Arnesen, permanecendo sóbrios por dois meses. No entanto, certa noite, a ânsia de beber é tamanha que, de madrugada, ao procurar uma garrafa de bebida, Joe destrói a estufa e as plantas do sogro.

Encorajado por Jim Hungerford, um ex-viciado, Joe se junta aos Alcoólicos Anônimos e, depois de algum tempo, se sente curado. Enquanto isso, as bebedeiras de Kirsten persistem e ela desaparece por vários dias sem entrar em contato com o marido. Quando ela é, finalmente, encontrada em um motel próximo, embriagada, Joe tenta ajudá-la, mas acaba voltando a beber. Certa noite, ao verificar que seu estoque de bebidas acabou, ele vai a uma loja de bebidas e, ao encontrá-la fechada, ele a arromba e rouba uma garrafa, o que o leva a um sanatório. Hungerford o visita e o adverte que deve permanecer sóbrio, não importa o que venha a acontecer, mesmo que isso signifique ficar longe de Kirsten.

Joe, finalmente, deixa de beber, torna-se um pai responsável e mantém um emprego estável. Ele tenta fazer as pazes com seu sogro, oferecendo-lhe o pagamento de dívidas e erros do passado, mas o Sr. Arnesen o acusa de ser indiretamente responsável pelo alcoolismo de Kirsten. Depois de se acalmar, ele afirma que sua filha vem desaparecendo há muito tempo e pegando estranhos em bares.

Certa noite, depois que Debbie vai dormir, Kirsten, sóbria há dois dias, procura Joe para tentar uma reconciliação, ocasião em que ele lhe diz que ela será bem-vinda a qualquer momento, desde que pare de beber. Ela se recusa a admitir ser uma alcoólatra, mas o aconselha a desistir dela.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Blake Edwards, a partir de um roteiro escrito por J.P. Miller, “Vício Maldito” é um maravilhoso filme produzido pela Jalem Productions em 1962. Sua trama enfoca a vida de um homem e uma mulher que, vivendo frequentemente embriagados, descem ao mais fundo dos poços, numa degradação moral e física sem precedentes.

Partindo de um roteiro bastante original e inteligente, Edwards nos brinda com um belo trabalho de direção, no que é ajudado pela ótima fotografia, em preto e branco, assinada por Philip H. Lathrop. Na área técnica, merecem igualmente elogios, o figurino a cargo de Donfeld e a bela trilha sonora assinada por Henry Mancini, composta de músicas como “Days of Wine and Roses”, “I Only Have Eyes for You” e “Rock-a-Bye Baby”.

No elenco, Jack Lemmon e Lee Remick brilham nos papéis principais, seguidos pela boa atuação de Charles Bickford.

CAA