Filmes por gênero

AS DUAS INGLESAS E O AMOR (1971)

Les deux anglaises et le continent
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: As duas inglesas e o continente (Portugal)
Le due inglesi (Itália)
Two english girls and the continent (USA)
Anne and Muriel (Reino Unido)
Las dos inglesas y el amor (Espanha, México)
Las dos inglesas (Argentina)
Zwei Mädchen aus Wales und die Liebe zum Kontinent (Alemanha)
Två systrar och Claude (Suécia)
Hjerter tre (Dinamarca)
Две англичанки и континент (União Soviética)
Pais: França
Gênero: Drama, Romance
Direção: François Truffaut
Roteiro: François Truffaut, Jean Gruault
Design Produção: Michel de Broin
Música Original: Georges Delerue
Fotografia: Néstor Almendros
Edição: Martine Barraqué, Yann Dedet
Figurino: Gitt Magrini
Guarda-Roupa: Pierangelo Cicoletti
Efeitos Sonoros: René Levert
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1973

Elenco

Jean-Pierre Léaud Claude Roc
Kika Markham Ann Brown
Stacey Tendeter Muriel Brown
Sylvia Marriott Sra. Brown
Marie Mansart Madame Roc
Philippe Léotard Diurka
Irène Tunc Ruta
Mark Peterson Sr. Flint
Georges Delerue Agente de Negócios de Claude
Marie Iracane Empregada de Madame Roc
Marcel Berbert Vendedor de Arte
Christine Pellé Secretária de Claude
René Gaillard Motorista de táxi
Anne Levaslot Muriel, quando criança
Annie Miller Monique
Jeanne Sophie Clarisse
Jeanne Lobre .
David Markham .

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Por volta de 1902, em Paris, quando Claude Roc e sua mãe viúva são visitados por Ann Brown, filha de um velho amigo, Ann convida Claude para passar o verão com sua família no País de Gales. Sua esperança é que ele possa se apaixonar e casar com sua irmã introvertida, Muriel.

Algum tempo depois, quando Claude chega à casa da família Brown, ele realmente se apaixona por Muriel e lhe propõe casamento. No entanto, tanto a mãe da jovem, quanto a sua própria, acreditam que eles são jovens demais e decidem que fiquem um ano afastados para testarem seus verdadeiros sentimentos.

Ao voltar para a França, no entanto, Claude se envolve com inúmeras mulheres atraentes, enquanto Muriel se mostra cada vez mais desanimada em relação ao seu relacionamento com ele. Enquanto isso, Ann viaja para Paris a fim de estudar arte, e termina tendo um caso com ele, apesar de se sentir culpada por trair a confiança da irmã. Algum tempo depois, ela o deixa ao se envolver com Diurka, um conhecido editor.

Quando Muriel chega à Paris para dizer a Claude que ainda o ama, Ann lhe fala sobre seu envolvimento com ele. Devastada, ela volta para casa e entra em uma profunda depressão. Pouco tempo depois, acometida de uma tuberculose, Ann retorna ao País de Gales, onde morre entre seus familiares e Diurka.

Ao voltar para a França, Diurka comenta com Claude que Muriel está deixando o País de Gales para trabalhar na Bélgica. Claude localiza o navio dela em Calais e os dois passam a noite juntos em um hotel. Na manhã seguinte, ela diz que eles agora devem se separar para sempre. Pouco tempo depois, ela lhe escreve para comunicar que se acha grávida, levantando as esperanças de casamento de Claude. No entanto, numa segunda carta, ela lhe diz que abortou e que o relacionamento deles chegou realmente ao fim.

Anos depois, agora um escritor de sucesso, Claude ainda sonha com os dotes artísticos de Ann e com as crianças que Muriel poderia ter lhe dado.


imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta François Truffaut, a partir de um roteiro por ele escrito juntamente com Jean Gruault, “As Duas Inglesas e o Amor” é um filme produzido pelas empresas Cinétel e Les Films Du Carrosse em 1971. Sua trama, baseada num romance de Henri-Pierre Roché, conta a história de um escritor francês que se apaixona por duas irmãs no início do século XX.

Na direção, Truffaut realiza um ótimo trabalho, realçado pela deslumbrante fotografia em Eastmancolor de Néstor Almendros. Merecem ser igualmente citados o belo figurino, a cargo de Gitt Magrini, e a comovente trilha sonora assinada por Georges Delerue.

No elenco, destacam-se as atuações de Jean-Pierre Leaud, Kika Markham e Stacey Tendeter.

CAA