Filmes por gênero

TODAS AS MANHÃS DO MUNDO (1991)

Tous les matins du monde
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Tutte le mattine del mondo (Itália)
Todas las mañanas del mundo (Espanha, Argentina)
All the mornings of the world (USA)
Die siebente saite (Alemanha)
Toate diminetile lumii (Romênia)
All världens morgnar (Suécia)
Все утра мира (União Soviética)
Pais: França
Gênero: Drama, Romance, Música
Direção: Alain Corneau
Roteiro: Alain Corneau, Pascal Quignard
Produção: Jean-Louis Livi
Design Produção: Bernard Vézat
Música Original: Jordi Savall
Fotografia: Yves Angelo
Edição: Marie-Josèphe Yoyotte
Figurino: Corinne Jorry
Guarda-Roupa: Gil Noir, Hélène Robin
Maquiagem: Jean-Pierre Eychenne, Marianne Collette
Efeitos Sonoros: Pierre Gamet, Laurent Lévy, Gérard Lamps e outros
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 2013

Elenco

Jean-Pierre Marielle Monsieur de Sainte Colombe
Gérard Depardieu Marin Marais
Anne Brochet Madeleine
Guillaume Depardieu Marin Marais, quando jovem
Carole Richert Toinette
Michel Bouquet Baugin
Jean-Claude Dreyfus Abbe Mathieu
Yves Gasc Caignet
Yves Lambrecht Charbonnières
Jean-Marie Poirier Monsieur de Bures
Myriam Boyer Guignotte
Violaine Lacroix Madeleine, quando jovem
Nadège Teron Toinette, quando jovem
Caroline Sihol Mme. de Sainte Colombe
Philippe Duclos Brunet
Yves Gourvil Lequieu

Prêmios

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Filme (Alain Corneau)

César de Melhor Direção (Alain Corneau)

César de Melhor Música escrita para um Filme

César de Melhor Fotografia (Yves Angelo )

César de Melhor Figurino (Corinne Jorry)

César de Melhor Som

César de Melhor Atriz Coadjuvante (Anne Brochet)

Indicações

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio Urso de Ouro (Alain Corneau)

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Roteiro (Alain Corneau, Pascal Quignard )

César de Melhor Edição (Marie-Josèphe Yoyotte)

César de Melhor Ator (Jean-Pierre Marielle)

César de Melhor Revelação Masculina (Guillaume Depardieu)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata Européia (Alain Corneau)

Sinopse

Com lágrimas nos olhos, Marin Marais começa a tocar, enquanto se lembra de seu antigo professor de música, Monsieur de Sainte Colombe, e de seu aparente fracasso como músico. Após a morte de sua amada esposa, Sainte Colombe se retirou para sua propriedade rural, para uma vida de austeridade e isolamento. Ele dedica sua vida à criação de suas duas filhas, Madeleine e Toinette, e conduz pessoalmente sua educação musical. Ele construiu uma pequena cabana de madeira em seu jardim, onde se retira para tocar suas músicas e se afundar nas lembranças de sua querida esposa morta. 

De vez em quando, quando ele toca bem, ela aparece para ele. À medida que as filhas chegam à adolescência, elas tornam-se violonistas talentosas, e as apresentações do trio Sainte Colombe são muito procuradas. Após uma dessas apresentações, Monsieur de Caignet, membro do círculo íntimo do rei Luís XIV, recomenda Sainte Colombe ao rei, mas o artista, em palavras duras, declina do privilégio real para desespero do enviado do rei. 

Um dia, Marin Marais, de dezenove anos, aparece na porta de Sainte Colombe, solicitando que seja aceito como aluno. Apesar de uma audição impressionante, o Mestre o rejeita, para grande decepção de Madeleine e Toinette. Em um pronunciamento curto, mas frio e mordaz, Sainte Colombe lhe diz para ir tocar na Corte, onde seu talento inegável será mais apreciado, mas ele, Marais, nunca saberá o que é a verdadeira música. Mesmo assim, Sainte Colombe diz a Marais para voltar em um mês. Após esse tempo, Marais retorna e se torna aluno de Sainte Colombe, por um breve período, até a próxima explosão de raiva do Mestre, quando ele lhe pede para nunca mais voltar. 

Madeleine, no entanto, ajuda Marais, ensinando-lhe secretamente tudo o que seu pai lhe ensinou, e termina sendo sua amante. Com sua ajuda, ele consegue se esconder embaixo de sua pequena cabana de madeira. Assim, ele ouve as improvisações do Mestre e aprende sua técnica. Certa vez, no entanto, Sainte Colombe descobre os dois debaixo de sua cabana, e desta vez Marais é banido para sempre. 

Madeleine dá à luz um bebê natimorto, após o que, oprimida pela tristeza por ter sido abandonada, ela adoece. Sainte Colombe manda chamar Marais para ficar ao lado da cama de sua filha moribunda. Marais se mostra frio e distante, até cruel em seus comentários. Após sua partida, Madeleine se enforca.  

Marais percebe que Sainte Colombe estava certo ao afirmar que, apesar de seu virtuosismo, sua música era simplesmente vazia. Ele fica tão obcecado com seu fracasso que novamente volta para, sob a cabana do mestre, ouvi-lo tocar. No entanto, a perda de sua filha Madeleine faz com que ele raramente volte a tocar. Marais espera três anos, passando inúmeras noites em vão sob a cabana, até que uma noite Sainte Colombe finalmente toca. Os dois passam a tocar juntos, já que Sainte Colombe deseja transmitir todo o seu conhecimento musical para uma próxima geração.  

 

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Alain Corneau, a partir de um roteiro por ele escrito, juntamente com Pascal Quignard, "Todas as Manhãs do Mundo" é um filme produzido em 1991 pelas empresas D. D. Productions, Film Par Film, Paravision International S. A., dentre outras.
 
Na direção, Corneau realiza um excelente trabalho, que lhe rendeu alguns prêmios. O filme conta, ainda, com ótima fotografia, a cargo de Yves Angelo, e com uma bela trilha sonora, onde se destacam as canções "Gavotte du Tendre", "Le Retour", "L'arabesque", "La Rêveuse", "Fantasie en Mi Mineur", dentre outras. No elenco, com ótimas atuações, destacam-se Anne Brochet, Jean-Pierre Marielle, Gérard Depardieu, Guillaume Depardieu, dentre outros.
 
CAA