Filmes por gênero

ISADORA (1968)

Isadora
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: The Loves of Isadora (USA)
Айседора (Bulgária)
Любовники Айседоры (União Soviética)
裸足のイサドラ (Japão)
Pais: Reino Unido, França
Gênero: Biográfico, Drama, Música, Romance
Direção: Karel Reisz
Roteiro: Melvyn Bragg, Clive Exton
Produção: Raymond Hakim, Robert Hakim
Design Produção: Jocelyn Herbert
Música Original: Maurice Jarre
Direção Musical: Maurice Jarre
Coreografia: Litz Pisk
Fotografia: Larry Pizer
Edição: Tom Priestley
Direção de Arte: Zeljko Senecic, Michael Seymour
Guarda-Roupa: Rebecca Breed, John Briggs, Ruth Myers
Maquiagem: Wally Schneiderman
Efeitos Sonoros: Maurice Askew, Ken Ritchie, Terry Rawlings, Lionel Strutt
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1992

Elenco

Vanessa Redgrave Isadora Duncan
John Fraser Roger
James Fox Gordon Craig
Jason Robards Cantor
Zvonimir Crnko Essenin
Vladimir Leskovar Bugatti
Cynthia Harris Mary Desti
Bessie Love Sra. Duncan
Tony Vogel Raymond Duncan
Libby Glenn Elizabeth Duncan
Ronnie Gilbert Srta. Chase
Wallas Eaton Archer
Nicholas Pennell Bedford
John Quentin Pim
Christian Duvaleix Armand, um pianista
David Healy Gerente do Teatro de Chicago
Lucinda Chambers Deirdre
Simon Lutton Davies Patrick
Noel Davis Médico
Ina de la Haye Professora russa
Constantine Yranski Companheiro russo
Stefan Gryff Intérprete
John Brandon Billy
Iza Teller Alicia
John Warner Sr. Stirling

Prêmios

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio de Melhor Atriz (Vanessa Redgrave)

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Atriz (Vanessa Redgrave)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Vanessa Redgrave)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Vanessa Redgrave)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Figurino (Ruth Myers)

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Terry Rawlings)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Karel Reisz)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Vanessa Redgrave)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Isadora nasceu em San Francisco em 1877, filha mais nova de Joseph Charles Duncan e Mary Isadora Gray. Logo após seu nascimento,seu pai foi exposto em um esquema ilegal de transações bancárias e a família foi à falência. Seus pais se divorciaram quando ela ainda era criança. Sua mãe, então, se mudou para Oakland, onde começou a trabalhar como professora de piano e costureira. Aos dez anos de idade, Isadora foi para a escola, mas ela a largou por achá-la muito restritiva. Em 1896, Isadora entrou para a companhia de Teatro de Augustin Daly, mas ficou desiludida com o teatro.
 
Sua carreira como bailarina e coreógrafa começou muito cedo, ainda criança, ensinando os colegas da vizinhança. O desejo de viajar a levou à Chicago, onde fez testes em várias companhias de teatro, até ingressar na Companhia de Augustin Daly, o que a levou até Nova York, onde sua nova visão da dança entrou em conflito com as peças e apresentações comuns do público. Foi em Nova York que ela começou a ter aulas com Marie Bonfanti, mas logo ficou desapontada com a rotina extenuante do balé clássico.
 
Infeliz e sentindo que seu talento não era apreciado nos Estados Unidos, Isadora se mudou para Londres, em 1898. Uma vez lá, apresentou-se para os ricos da sociedade londrina, buscando inspiração em vasos gregos e painéis antigos exibidos no Museu Britânico. Com o dinheiro que ganhou com tais apresentações, ela conseguiu alugar um estúdio, onde desenvolveu melhor seu trabalho e passou a criar grandes apresentações no palco. De Londres, ela viajou para Paris, onde se inspirou na exposição do Louvre e na Exposição Universal de 1900.
 
Em 1902, Loie Fuller convidou Isadora para excursionar com ela, o que a levou por todo o continente europeu, onde criou novas peças e apresentações baseadas em sua técnica inovadora, que enfatizava o movimento natural do corpo, em contraste com a rigidez do balé tradicional. Na maior parte de sua vida, Isadora excursionou e se apresentou por toda a Europa e nas Américas. Mesmo com reações de parte da crítica, Isadora tornou-se extremamente popular por seu estílo único e inspirou muitos artistas, como Antoine Bourdelle, Auguste Rodin, Arnold Ronnebeck e Abraham Walkowitz, a criarem trabalhos que ilustravam sua dança.
 
Isadora, porém, não gostava dos aspectos comerciais das performances para o público, como turnês e contratos, pois ela sentia que se distraia de sua verdadeira missão, que era criar beleza e educar os mais jovens. Para alcançar seu objetivo, ela abriu escolas de dança para ensinar a filosofia da arte para jovens mulheres. A primeira foi aberta em 1904, em Berlim, na Alemanha. Foi nesta instituição que nasceu o assim chamado grupo das "isadoráveis", seis jovens moças, Anna, Maria-Theresa, Irma, Liesel, Gretel e Erika, protegidas de Isadora, que dariam continuidade ao seu legado. Isadora legalmente adotou cada uma das garotas, que levaram seu sobrenome adiante. Depois de dez anos, Isadora abriu outra escola em Paris, mas a fechou logo depois com a eclosão da Primeira Guerra Mundial.
 
Em 1914, Isadora mudou-se para os Estados Unidos, onde abriu outra escola de dança, em Gramercy Park, Nova York. Otto Kahn lhe deu acesso ao moderno teatro Century, na 60th Street, em Manhattan, para suas apresentações. Por volta dessa época, Isadora posou para vários ensaios fotográficos, sempre pelas lentes de Arnold Genthe. Em 1915, Isadora deixaria os Estados Unidos a bordo do RMS Lusitania, naquela que foi a última viagem da embarcação, mas ela trocou de passagem na última hora, possivelmente devido a problemas financeiros. Em 1921, suas tendências esquerdistas a levaram para a União Soviética, onde abriu uma escola de dança em Moscou. No entanto, o governo soviético não a apoiou como prometido devido à sua escola nos Estados Unidos.
 
Tanto na vida profissional como na vida pessoal, Isadora ignorava a moral tradicional. Ela era bissexual, ateia e comunista, tendo declarado abertamente suas ideias comunistas no palco.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Karel Reisz, a partir de um roteiro escrito por Melvyn Bragg e Clive Exton, "Isadora" é um filme produzido em 1968 pela Hakim, juntamente com a Paris Film. Sua trama gira em torno da famosa bailarina Isadora Duncan, que chocou o público, dos anos 1920, ao se apresentar nos palcos nua ou seminua.

Na direção, Reisz realiza um ótimo trabalho, no que é ajudado por uma boa fotografia, a cargo de Larry Pizer, por uma excelente trilha sonora, onde se destacam músicas de Beethoven, Schubert, Brahms, Tchaikovsky, dentre outros. No elenco, com uma magnífica atuação, o grande destaque é, sem nenhuma dúvida, Vanessa Redgrave, no papel principal.

CAA