Filmes por gênero

O JUIZ E O ASSASSINO (1976)

Le juge et l'assassin
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: The judge and the assassin (Estados Unidos, Reino Unido)
Il giudice e l'assassino (Itália)
El juez y el asesino (Espanha, Argentina, Chile)
Der Richter und der Mörder (Alemanha)
Sedzia i zabójca (Polônia)
A bíró és a gyilkos (Hungria)
Sudija i ubica (Iugoslávia)
Pais: França
Gênero: Crime, Drama, Histórico
Direção: Bertrand Tavernier
Roteiro: Bertrand Tavernier, Jean Aurenche
Produção: Raymond Danon
Design Produção: Antoine Roman
Música Original: Philippe Sarde
Direção Musical: Hubert Rostaing
Fotografia: Pierre-William Glenn
Edição: Armand Psenny
Figurino: Jacqueline Moreau
Guarda-Roupa: Yvette Bonnay
Maquiagem: Thi-Loan Nguyen
Efeitos Sonoros: Michel Desrois, Maurice Gilbert, Alain David
Nota: 8.8
Filme Assistido em: 1976

Elenco

Philippe Noiret Juiz Rousseau
Michel Galabru Sargento Joseph Bouvier
Isabelle Huppert Rose
Jean-Claude Brialy Advogado Villedieu
Renée Faure Sra. Rousseau
Cécile Vassort Louise Leseuer
Jean-Roger Caussimon Cantor de rua
Jean Bretonnière Policial
Monique Chaumette Mãe de Louise
Yves Robert Professor Degueldre
Jean-Claude de Goros Dr. Dufour
Michel Fortin Cirurgião
Liza Braconnier Enfermeira do Hospital
Eddy Ross Padre
Maurice Jacquemont Padre
Jean-Pierre Sentier Jornalista
Jean-Marie Galey Jornalista
Gilles Dyrek Victor
Aude Landry Suzanne
Catherine Verlor Francine
Philippe Sarde Pianista
Yvan Lech Chefe Marista
Arlette Bonnard Jovem com sabão
François Dyrek Vagabundo
Jean-Pierre Leroux .

Prêmios

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Ator (Michel Galabru)

César de Melhor Roteiro (Jean Aurenche, Bertrand Tavernier )

Indicações

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Filme (Bertrand Tavernier)

César de Melhor Direção (Bertrand Tavernier)

César de Melhor Ator Coadjuvante (Jean-Claude Brialy)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1893, o sargento Joseph Bouvier descobre que foi reformado por causa de suas repentinas explosões de violência, temperadas com ataques de devoção, e sai para encontrar sua noiva, Louise Lesueur. Ela se recusa, mais uma vez, a se casar com ele. Cego pela dor , ele atira nela e, em seguida, tenta se suicidar, cometendo uma falha dupla, já que Louise não morreu e ele é condenado a viver com duas balas na cabeça.
 
Em primeiro de abril do ano seguinte, Bouvier deixa o asilo em Dole, onde foi preso. A medicina o reconheceu curado, o que não o impedirá de estuprar e estrangular mais de doze pessoas em poucos meses. Ele corre pelas estradas, assombrado pela memória de Louise, matando como um animal selvagem em súbitas explosões de raiva e implorando o perdão de Deus que, ele acredita, lhe confiou a missão de despertar a França adormecida, esmagada pela injustiça.
 
Ninguém suspeita de Bouvier, exceto o juiz Rousseau, que mora em Privas com sua mãe. Por força de dedução, ele consegue recompor um relatório do assassino. E, novo na época, ele o envia aos duzentos e cinquenta Parquets da França. Sua iniciativa, criticada até pelo seu melhor amigo, o promotor Villedieu, que viveu nas colônias por um longo tempo,permite que o juiz finalmente se encontre cara a cara com Bouvier.
 
Assim, pouco a pouco, ele ganha a confiança do assassino. Gradualmente, Bouvier confessa tudo a ele, dando-lhe detalhes que constituem evidências irrefutáveis. Ele sabe que está doente e quer ser tratado, mas, no fundo, o juiz acredita que Bouvier está simulando loucura, e o juiz, assistido por especialistas, envia Bouvier à guilhotina.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Bertrand Tavernier, a partir de um roteiro por ele escrito, juntamente com Jean Aurenche, "O Juiz e o Assassino" é um bom filme francês produzido em 1976.
 
Na direção, Tavernier realiza um bom trabalho, no que é ajudado pela magnífica fotografia, a cargo de Pierre-William Glenn, bem como, pela ótima trilha sonora assinada por Philippe Sarde, com mais de dez canções por ele escritas e interpretadas por sua orquestra, uma das quais contando com as participações de Isabelle Huppert e Philippe Noiret.
 
No elenco, com uma excelente atuação, o maior destaque é, sem nenhuma dúvida, Michel Galabru, seguido pelas boas atuações de Philippe Noiret e Isabelle Huppert.
 
CAA