Filmes por gênero

CAZUZA - O TEMPO NÃO PÁRA (2004)

imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Cazuza: Time doesn't stop (Título Internacional)
Казуза (Rússia)
Pais: Brasil
Gênero: Biográfico, Drama, Música, Romance
Direção: Sandra Werneck, Walter Carvalho
Roteiro: Fernando Bonassi, Victor Navas
Produção: Daniel Filho
Design Produção: Claudio Amaral Peixoto
Música Original: Guto Graça Mello, Cazuza
Fotografia: Walter Carvalho
Edição: Sérgio Mekler
Direção de Arte: Cláudio Amaral Peixoto
Figurino: Cláudia Kopke, Fernanda Fabrizzi
Maquiagem: Juliana Mendes
Efeitos Sonoros: Zezé d'Alice, Miriam Biderman, Daniel Turini e outros
Efeitos Especiais: Sergio Farjalla Jr., Mauricio Couto Bevilaqua
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 2004

Elenco

Daniel de Oliveira Cazuza
Débora Falabella Dani
Marieta Severo Lucinha Araújo, mãe de Cazuza
Reginaldo Faria João Araújo, pai de Cazuza
Cadu Favero Frejat
Maria Flor Garota de Bauru
Andréa Beltrão Malu
Leandra Leal Bebel Gilberto
André Gonçalves Maneco
Maria Mariana Talita
Arlindo Lopes
Emílio de Mello Zeca
Dudu Azevedo Guto
André Pfefer Maurício
Eduardo Pires Serginho
Fernanda Boechat Garota da ponte
Victor Hugo Bené
Pierre Santos Tonico

Prêmios

Associação Paulista de Críticos de Arte

Prêmio de Melhor Ator (Daniel de Oliveira)

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Ator (Daniel de Oliveira)

Prêmio de Melhor Edição (Sérgio Mekler)

Prêmio de Melhor Fotografia (Walter Carvalho)

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Guto Graça Mello)

Prêmio de Melhor Som (Zezé d'Alice)

Prêmio de Melhor Filme (Brasil)

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (Fernando Bonassi, Victor Navas)

Festival do Cinema Brasileiro de Miami, EUA

Prêmio Lente de Cristal de Melhor Ator (Daniel de Oliveira)

Prêmio Lente de Cristal de Melhor Filme (Walter Carvalho, Sandra Werneck)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio Maçã de Prata de Melhor Ator (Daniel de Oliveira)

Maçã de Ouro de Melhor Filme (Walter Carvalho, Sandra Werneck)

Prêmios ABC de Cinematografia, Brasil

Troféu ABC de Melhor Som (Zezé d'Alice, Waldir Xavier, Rodrigo de Noronha)

Prêmios ACIE, Brasil

Prêmio ACIE de Melhor Ator (Daniel de Oliveira)

Festival Português - Cineport

Troféu Andorinha de Melhor Ator (Daniel de Oliveira)

Prêmio do Público (Sandra Werneck, Walter Carvalho)

Prêmios Guarani, Brasil

Prêmio Guarani de Melhor Ator (Daniel de Oliveira)

Prêmios Qualidade

Prêmio Qualidade de Melhor Filme - São Paulo

Festival de Cinema do SESC, Brasil

Prêmio do Público de Melhor Ator (Daniel de Oliveira)

Prêmio da Crítica de Melhor Ator (Daniel de Oliveira)

Indicações

Grande Prêmio Brasileiro de Cinema, Brasil

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Emílio de Melo)

Prêmio de Melhor Direção de Arte (Claudio Amaral Peixoto)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Andréa Beltrão)

Prêmio de Melhor Figurino (Cláudia Kopke)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Leandra Leal)

Prêmios ABC, Brasil

Prêmio de Melhor Fotografia de um Longa-metragem (Walter Carvalho)

Prêmio ABC de Melhor Edição (Sérgio Mekler)

Prêmio ABC de Melhor Direção de Arte (Claudio Amaral Peixoto)

Prêmios ACIE, Brasil

Prêmio ACIE de Melhor Filme (Walter Carvalho, Sandra Werneck)

Prêmios Guarani, Brasil

Prêmio do Público de Melhor Filme

Prêmio Guarani de Melhor Roteiro Adaptado (Fernando Bonassi, Victor Navas)

Prêmio Guarani de Melhor Edição (Sérgio Mekler)

Prêmio Guarani de Melhor Direção de Arte (Claudio Amaral Peixoto)

Prêmio Guarani de Melhor Atriz Coadjuvante (Marieta Severo)

Prêmio Guarani de Melhor Som (Miriam Biderman)

Prêmio Guarani de Melhor Diretor (Sandra Werneck, Walter Carvalho)

Prêmio Guarani de Melhor Maquiagem (Juliana Mendes)

Sinopse

Sob a lona do Circo Voador, um jovem muito maquiado canta uma música em inglês.  Instável e desafiador, mas também extremamente sedutor, ele vive sua confortável vida de garoto da Zona Sul, sob a cerrada vigilância da mãe.  Ele é Cazuza.

Sem conhecer limites, está sempre querendo mais, tanto em suas relações afetivas, como em suas experiências com as drogas.  Logo, ele descobre na música a melhor maneira de expressar seus inconformismos.

O encontro com os Barões - o guitarrista Roberto Frejat, o baixista Dé, o baterista Guto Gofi, o tecladista Maurício - músicos de sua idade à procura de um novo som, é a primeira etapa de sua vitoriosa carreira de letrista.  Junto com os Barões, Cazuza viaja, conhece o Brasil, vive novos afetos.  Para atenuar a intensificação de conflitos familiares, é intimado a trabalhar com o pai, diretor de uma gravadora, onde conhece Zeca, produtor musical experiente, que se transforma em uma espécie de guru e que lhe apresenta novos autores.

O jovem inquieto passa a surpreender com letras de alta densidade poética, que definem idéias e sentimentos para a sua própria geração, até então, sem porta-voz.  A apoteótica apresentação do grupo 'Barão Vermelho', no '1º Rock in Rio', em 1985, é a prova de que aqueles jovens podem ir bem longe.

Viver cada vez mais intensamente, romper limites, correr todos os riscos, passam a fazer parte do cotidiano de Cazuza, monitorado, na medida do possível, por uma mãe atenta e preocupada, mas também orgulhosa do talento do filho.

O diagnóstico de que é portador do vírus HIV é recebido, pelo jovem artista, com desespero, seguido da busca de novas formas de tratamento para uma doença que, na época, representava uma sentença de morte a curtíssimo prazo.  E é justamente, sob essa condenação, que Cazuza dá provas de uma coragem sem precedentes:  expõe sua doença e sua deterioração física, apresenta-se em público em shows comoventes, não abre mão dos poucos prazeres que ainda lhe restam.

imagem

Comentários

Baseado no livro "Só as Mães são Felizes", que reúne uma série de depoimentos de Lucinha Araújo sobre seu filho Cazuza, o filme cobre o período que vai de 1981, quando o compositor e cantor inicia sua carreira, até sua morte, aos 32 anos, em 1990.

Realizado por Sandra Werneck e Walter Carvalho, "Cazuza - O Tempo não Para" é um drama comovente, que se torna bastante denso em seus 30 minutos finais, quando é abordado o período da doença que o levou à morte.

Entre os momentos mais fortes, estão aqueles em que o filme mostra Cazuza se drogando, tendo envolvimentos homossexuais e desesperado, ao tomar conhecimento de que se acha contaminado com o vírus da Aids.

O roteiro, assinado por Fernando Bonassi e Victor Navas, é um dos pontos fracos do filme, já que deixa de abordar vários aspectos importantes da vida de Cazuza, bem como, passa a idéia de que o mesmo nada mais é do que a edição de uma coletânea de clips sobre o cantor/compositor.

O grande destaque do filme chama-se Daniel de Oliveira.  O ator dá um show de interpretação, digna de um Oscar.  Em seguida, vêm as ótimas atuações de Marieta Severo e Reginaldo Faria.  Emílio de Mello também mostra um bom trabalho.

CAA