Filmes por gênero

EU, CHRISTIANE F., 13 ANOS, DROGADA E PROSTITUIDA (1981)

Christiane F. - Wir kinder vom Bahnhof Zoo
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Christiane F. (Portugal, USA, UK)
Moi, Christiane F., 13 ans, droguée, prostituée... (França)
Christiane F. - Noi i ragazzi dello zoo di Berlino (Itália)
Yo, Cristina F (Espanha)
Vi barn från Bahnhof Zoo (Suécia)
Die Kinder vom Bahnhof Zoo (Alemanha)
Christiane F. - i morgen er det slut (Dinamarca)
Я Кристина (Rússia)
Pais: Alemanha
Gênero: Biográfico, Drama
Direção: Uli Edel
Roteiro: Herman Weigel, Uli Edel
Produção: Hans Weth, Bernd Eichinger, Bertram Vetter, Hans Weth
Design Produção: Sabine Eichinger, Harald Muchametow
Música Original: Jürgen Knieper
Fotografia: Jürgen Jürges, Justus Pankau
Edição: Jane Seitz
Figurino: Myrella Bordt
Maquiagem: Colin Arthur
Efeitos Sonoros: Lothar Mankewitz, Hans-Dieter Schwarz, Sybille Windt
Efeitos Especiais: María Luisa Pino
Nota: 9.1
Filme Assistido em: 1982

Elenco

Natja Brunckhorst Christiane
Eberhard Auriga Alter Fixer
Peggy Bussieck Puppi
Lothar Chamski Rolf
Rainer Woelk Leiche
Uwe Diderich Klaus
Jan Georg Effler Bernd
Ellen Esser Kessis Mutter
Andreas Fuhrmann Atze
Thomas Haustein Detlev
Lutz Hemmerling Bienenstich
Daniela Jaeger Kessi
Bernhard Janson Milan
Jens Kuphal Axel
Christiane Lechle Mãe de Christiane
Kerstin Malessa Tina
Christiane Reichelt Babsi
Kerstin Richter Stella
Cathrine Schabeck Linda
David Bowie Ele próprio

Prêmios

Festival de Montréal, Canadá

Prêmio de Filme mais Popular (Uli Edel)

Prêmios Golden Screen, Alemanha

Prêmio Golden Screen

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em 1975, Christiane Felscherinow, de treze anos, mora com a mãe, uma irmãzinha e o padrasto, em um pequeno apartamento num edifício típico de habitação social, em um bairro nos arredores de Berlim Ocidental. Ela está cansada de morar lá e tem uma paixão pelo cantor David Bowie. Ela costuma frequentar uma discoteca no centro da cidade, rotulada como a mais moderna da Europa.
 
Embora seja jovem demais para frequentá-la, ela se veste de salto alto, usa maquiagem e pede a um amigo da escola para levá-la. Na discoteca, ela conhece Detlef, que é um pouco mais velho e viciado em drogas. Inicialmente, ela toma pílulas e LSD. Certo dia, ela vai a um show de David Bowie, no qual conhece Babsi, uma garota de sua idade e experimenta heroína pela primeira vez. Pouco tempo depois, Christiane se apaixona por Detlef e, para se aproximar dele, começa a usar heroína regularmente e se torna viciada.
 
Após seu aniversário de quatorze anos, Christiane passa a frequentar o zoológico de Bahnhof, uma grande estação ferroviária e de metrô, notória pelo seu comércio de drogas e sexo. Lá, ela também começa a se prostituir. Em casa, ela vende todos os seus bens e se deprecia a níveis abismais. certa vez, ela é encontrada desmaiada no banheiro de sua casa e, com a ajuda de sua mãe e seu padrasto, tenta ficar em pé.
 
Certo dia, ela e Detlef encontram seu melhor amigo e colega de quarto morto por overdose. Por outro lado, quando Christiane aborda dois homens numa relação sexual muito barulhenta, ela pede que tenham compostura e corre desesperadamente para a estação, a fim de se encontrar com sua namorada, Babsi, e a encontra morta por overdose com apenas quatorze anos. Embora tente se matar com uma overdose de drogas, ela se recupera, embora a maioria de seus companheiros tenham morrido ou se tornaram irrecuperáveis.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Uli Edel, a partir de um roteiro por ele escrito, juntamente com Kaï Hermann, autor do livro, "Eu, Christiane F., 13 anos, Drogada e Prostituída", é um filme produzido em 1981 pelas empresas Süddeutscher Rundfunk, CLV - Film Produktions, Popular Film Produktions, Maran Film e Solaris Film.

Sua trama, baseada numa história verídica, é bastante chocante. Cru, intenso e cruel é a melhor maneira de descrever esse filme antidrogas. Aliás, às vezes eu me pego a pensar sobre o que poderá ter passado na cabeça de uma adolescente de apenas 14 anos, ao desempenhar o papel de uma prostituta viciada em drogas. Por outro lado, a trilha sonora, com nove canções de David Bowie, além de se mostrar apropriada para a época, é bastante opressiva e sombria.

CAA