Filmes por gênero

LUA DE PAPEL (1973)

Paper moon
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Luna de papel (Argentina, Espanha, México)
La barbe à papa (França)
Paper Moon - Luna di carta (Itália)
Mesec od papira (Sérvia)
Papierowy ksiezyc (Polônia)
Papírhold (Hungria)
Paperikuu (Finlândia)
Бумажная луна (Rússia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Dramática
Direção: Peter Bogdanovich
Roteiro: Alvin Sargent
Produção: Peter Bogdanovich, Frank Marshall
Design Produção: Polly Platt
Fotografia: László Kovács
Edição: Verna Fields
Figurino: Polly Platt
Guarda-Roupa: Pat Kelly, Sandra Stewart
Maquiagem: Rolf Miller
Efeitos Sonoros: Richard Portman, Les Fresholtz, Kay Rose
Efeitos Visuais: Jack Harmon
Nota: 8.7
Filme Assistido em: 1976

Elenco

Ryan O'Neal Moses Pray
Tatum O'Neal Addie Loggins
Madeline Kahn Trixie Delight
John Hillerman Policial Hardin / Jess Hardin
P.J. Johnson Imogene
Jessie Lee Fulton Srta. Ollie
James N. Harrell Ministro
Lila Waters Esposa do Ministro
Noble Willingham Sr. Robertson
Bob Young Atendente do Posto de Gasolina
Jody Wilbur Garçonete do Café
Liz Ross A viúva Morgan
Yvonne Harrison A viúva Bates
Eleanor Bogart A viúva Stanley (Elvira)
Dorothy Forster A viúva Huff (Edna)
Lana Daniel Namorada de Moses
Herschel Morris Barbeiro
Dejah Moore Vendedora
Ralph Coder Gerente da Loja
Harriet Ketchum Cliente da Loja
George Lillie Fotógrafo
Burton Gilliam Floyd
Floyd Mahaney Beau
Randy Quaid Leroy
Gilbert Milton Pai de Leroy
Tandy Arnold Irmão de Leroy
Dennis Beden Irmão de Leroy
Vernon Schwanke Irmão de Leroy
Hugh Gillin Policial
Rose-Mary Rumbley Tia Billie
Marian Jordan Molly McGee

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Tatum O'Neal)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Tatum O'Neal)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Atriz Estrangeira (Tatum O'Neal)

Círculo dos Críticos de Cinema de Kansas City, USA

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Madeline Kahn)

Festival Internacional de San Sebastián, Espanha

Prêmio Concha de Prata (Peter Bogdanovich)

Prêmio Especial do Júri (Peter Bogdanovich)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Comédia adaptada de outro meio de comunicação (Alvin Sargent)

National Board of Review, USA

Prêmio NBR dos 10 Melhores Filmes

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Madeline Kahn)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Alvin Sargent)

Oscar de Melhores Efeitos Sonoros (Richard Portman, Les Fresholtz)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Musical ou Comédia

Prêmio de Melhor Atriz em um Musical ou Comédia (Tatum O'Neal)

Prêmio de Melhor Direção (Peter Bogdanovich)

Prêmio de Melhor Ator em um Musical ou Comédia (Ryan O'Neal)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Madeline Kahn)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Diretor de Filme Estrangeiro (Peter Bogdanovich)

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (P.J. Johnson)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

No início dos anos 30, um pequeno serviço fúnebre acha-se em andamento no túmulo de Essie May Loggins. Encontram-se presentes duas amigas e Addie, a filha de 9 anos da falecida. Um pouco atrasado para o culto está Moses Pray, um homem mais jovem de boa aparência. Fica claro que Essie May era uma mulher um tanto "solta" e que Moses era um de seus amantes. Uma das mulheres presentes comenta que percebe uma semelhança entre Moses e Addie e se pergunta se ele não é o pai da garota. Ele nega ser o pai de Addie, mas as mulheres persistem em questioná-lo. Ao descobrirem que ele estará viajando em direção ao Missouri, elas o convencem a levar Addie para a casa de seus tios, em St. Joseph. Moses se mostra frustrado com essa responsabilidade, mas também vê uma oportunidade nela. Ele, na verdade, é um vigarista e usa seus conhecimentos dos assuntos ligados à Essie May para chantagear um certo homem. Assim, ele leva Addie para conhecer o tal homem e, depois, sugere que ele pode ser o pai da garota. O homem, no entanto, lhe oferece US$200 para ficar calado, e ele usa esse dinheiro para comprar um carro novo, além de uma passagem de trem para St. Joseph para Addie. No entanto, a jovem não é uma criança inocente. Ela ouviu a conversa que Moses teve com a vítima e se recusa a ser usada em um jogo de embuste sem nenhuma compensação, exigindo assim os US$200 sob o argumento de que se trata exatamente de seu dinheiro. Furioso ao descobrir que a garota é muito esperta, ele concorda em princípio com ela.

Em seguida, Addie descobre que Moses está se passando por vendedor de Bíblia. Ele consulta na seção de obituários de um jornal local, os nomes dos homens falecidos recentemente e informa às viúvas que seus maridos solicitaram uma Bíblia com o nome da mulher impresso no interior. Certa vez, enquanto Moses conversa com uma mulher chamada Pearl, Addie encontra material no carro com o qual ele imprimiu o nome dela no interior da Bíblia. Assim, tocada pelo fato de seu falecido marido pretender comprar um presente para ela, Pearl dá a Moses o dinheiro pela Bíblia, e o golpe de Moses fica claro para Addie. Ele  se mostra irritado por ter que levar a garota com ele, e ela se revela cada vez mais sábia para sua idade. Ela carrega uma caixa de charutos contendo suas únicas posses, além de um rádio. A própria Addie acredita que Moses é seu pai, e ela o lembra disso várias vezes, mas ele nega sempre.

Moses não gosta que Addie esteja envolvida em seus golpes, mas logo descobre que ela é um trunfo quando ele tenta convencer uma viúva a comprar uma Bíblia e, de repente, um homem da lei aparece questionando-o sobre seus negócios e sua identidade. Addie salva o dia correndo até a casa e encantando o policial, a ponto de aumentar o preço da Bíblia no calor do momento. Mesmo assim, ele se mostra zangado por sua interferência em seus negócios, mas ela entende agora que ela é sua parceira e que seus conflitos se transformam em negócios lucrativos. As coisas mudam quando Moses e Addie visitam um carnaval itinerante e ele começa a namorar uma garota chamada Trixie Delight. Ela aparece no carnaval como uma "garota do Harém", e tudo indica que ela faz mais do que apenas dançar.

Moses informa Addie que Trixie e sua empregada pessoal, Imogene, estarão viajando com eles a partir de agora, o que a deixa furiosa. Mal-humorada, Addie passa a ignorar Trixie até que esta a procura para uma conversa franca. Trixie, então, lhe diz que não consegue segurar um homem por muito tempo e que, se ela for paciente, Moses logo se cansará dela e seguirá em frente. Addie parece aceitar a proposta, até Trixie convencer Moses a comprar um carro novo. Esta é a gota d'água para Addie que, imediatamente, planeja sua queda. Nesse sentido, ela consegue a ajuda de Imogen e, juntas, providenciam para que Trixie seja apanhada em uma posição comprometedora com o recepcionista do hotel onde se acham hospedados. Como agradecimento, Addie dá à Imogene dinheiro suficiente para ela voltar para sua família e, após Moses pegar Trixie na cama com o recepcionista, ele imediatamente pega Addie e deixa o hotel.

Em seguida, ao se instalarem em um pequeno hotel da zona rural, Addie percebe um contrabandista vendendo bebida roubada de um galpão localizado nos fundos do hotel. Imediatamente, lhe vem a ideia deles roubarem um pouco da bebida para, em seguida, a venderem por um preço razoável. Embora seu esquema funcione, eles não sabem que foram descobertos por um homem escondido nas proximidades do galpão. Ao deixarem o hotel em seu carro, eles são perseguidos por um xerife que os leva sob custódia. Ao chegarem à Delegacia, eles são interrogados, mas não confessam nada. Addie havia escondido, em seu chapéu, o dinheiro revelador que eles conseguiram e, na primeira oportunidade. os dois correm para fora e fogem em seu carro. Perseguidos pelo xerife e seus homens, eles conseguem atravessar a fronteira para o Missouri, onde o xerife não tem jurisdição e não pode prendê-los. Por outro lado, percebendo que o carro deles os tornaria visíveis, ao encontrar um caminhão velho do lado de fora de uma fazenda, Moses sugere ao proprietário a troca dos veículos e, ao ser rejeitada sua proposta, ele se oferece para lutar por ele. Os homens da fazenda não resistem ao desafio e escolhem seu melhor lutador para enfrentar Moses. Jogando sujo, ele ganha o direito de partir no caminhão, como desejava.

Agora que os dois se encontram no Missouri, surge a questão sobre o destino de Addie, a casa de seus tios. No entanto, ambos se mostram felizes juntos e não veem mais a necessidade de se separarem. Em seguida, Moses fala para Addie sobre um plano para conseguir uma boa soma em dinheiro, suficiente para deixarem a vida que levam. Ele, então, sai sozinho, prometendo que depois virá buscá-la. Logo depois, no entanto, ele é interceptado pelo xerife de Kansas e seus homens. Embora eles não possam prendê-lo, por se encontrar no Missouri, eles estão interessados em vingança e o espancam severamente. Por outro lado, preocupada pelo fato de Moses não voltar, Addie sente que algo está errado. Ela, então, sai à sua procura e o encontra espancado e ensanguentado, deitado sobre uma escada.

Agora que a violência o encontrou, Moses muda de ideia  sobre ter Addie nesse estilo de vida. Assim, ele a leva para morar com seus tios. Sua tia a trata como uma criança e ela a odeia. Por outro lado, ele se sente com o coração partido. De repente, ao olhar pelo retrovisor, ele a vê ao longe, correndo em sua direção. Embora esteja feliz ao vê-la, ele coloca um rosto severo e a encara, dizendo: "Eu lhe disse que não quero mais que você vá comigo". Ela, por sua vez, o encara e diz: "Você ainda me deve US$200". 

Enfim, juntos novamente, eles partem para um novo destino.

 

 

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Peter Bogdanovich, a partir de um roteiro escrito por Alvin Sargent, "Lua de Papel" é um excelente filme norte-americano produzido em 1973. Sua trama, baseada  num romance de Joe David Brow, se passa nos Estados Unidos durante a Grande Depressão, e acompanha um vigarista que se vê envolvido com uma garota de apenas nove anos, que pode ou não ser sua filha.

Na direção, Bogdanovich nos brinda com um excelente trabalho, no que é ajudado pela ótima fotografia em preto e branco, assinada por Laszló Kovácz, bem como, pela belíssima trilha sonora com mais de quinze canções interpretadas por Bing Crosby, Dick Powell, Larry Stewart, Peggy Healy, Victor Young e sua Orquestra, Tommy Dorsey e sua Orquestra, dentre outros.
 
No elenco, sem nenhuma dúvida, o grande destaque é a jovem atriz de apenas 10 anos de idade, Tatum O'Neal, ganhadora de prêmios do porte do Oscar, Globo de Ouro e David di Donatello, seguida pelas ótimas atuações de Ryan O'Neal, seu pai, Madeline Kahn e P. J. Juhnson.
 
Enfim, "Lua de Papel" é um filme que recomendo fortemente.
 
CAA