Filmes por gênero

LEMBRANÇAS DE HOLLYWOOD (1990)

Postcards from the edge
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Recordações de Hollywood (Portugal)
Bons baisers d'Hollywood (França, Canadá)
Cartoline dall'inferno (Itália)
Postales desde el filo (Espanha)
Recuerdos de Hollywood (Argentina, México, Peru, Venezuela)
Grüße aus Hollywood (Alemanha)
Vykort från drömfabriken (Suécia)
Smil - vi er på (Dinamarca)
Открытки с края бездны (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia, Drama
Direção: Mike Nichols
Roteiro: Carrie Fisher
Produção: Mike Nichols, John Calley, Susan MacNair
Design Produção: Patrizia von Brandenstein
Música Original: Carly Simon
Direção Musical: Howard Shore
Fotografia: Michael Ballhaus
Edição: Sam O'Steen
Direção de Arte: Kandy Stern
Figurino: Ann Roth
Guarda-Roupa: Eddie Marks
Maquiagem: J. Roy Helland, Cheri Minns, Greg Cannom
Efeitos Sonoros: Stan Bochner, Gene Cantamessa, Steve Cantamessa, Lee Dichter
Efeitos Especiais: Alan E. Lorimer
Efeitos Visuais: Bill Hansard
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1991

Elenco

Meryl Streep Suzanne Vale
Shirley MacLaine Doris Mann
Dennis Quaid Jack Faulkner
Gene Hackman Lowell Kolchek
Richard Dreyfuss Dr. Frankenthal
Rob Reiner Joe Pierce
Mary Wickes Avó
Conrad Bain Avô
Annette Bening Evelyn Ames
Simon Callow Simon Asquith
Gary Morton Marty Wiener
CCH Pounder Julie Marsden
Oliver Platt Neil Bleene
Sidney Armus Sid Roth
Robin Bartlett Aretha
Barbara Garrick Carol
Anthony Heald George Lazan
Michael Ontkean Robert Munch
Pepe Serna Raoul
Mark Lowenthal Bart
Michael Byers Allen
JD Souther Ted
George Wallace Carl
Kathleen Gray Cindy
Jane Galloway Enfermeira
Robert Marshall Piloto de helicóptero

Prêmios

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio de Melhor Revelação do Ano (Annette Bening)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Meryl Streep)

Oscar de Melhor Canção Original (Shel Silverstein)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Musical ou Comédia (Meryl Streep)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Shirley MacLaine)

Prêmio de Melhor Canção Original (Shel Silverstein)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Shirley MacLaine)

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (Carrie Fisher)

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Carly Simon)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Suzanne Vale é uma atriz de quarenta e poucos anos, viciada em cocaína, que após passar algum tempo num Centro de Reabilitação, tenta retomar sua carreira. Seu agente a lembra que, de acordo com a política do Estúdio, sua apólice de seguro só lhe dará cobertura se ela mantiver uma vida responsável, como a de sua mãe Doris Mann, que reinou como estrela das comédias musicais dos anos 1950 e 1960.

Suzanne se mostra relutante ao ter que voltar para junto de sua mãe, depois de lutar tanto para se afastar de um convívio no qual crescera sempre à sua sombra. A situação não é ajudada pelo fato de que Doris sempre foi uma pessoa competitiva e manipulativa, dando conselhos não solicitados à filha, insinuando juízos de valor e tratando-a sempre como a uma criança.

O produtor Jack Faulkner a procura no Estúdio e lhe revela que ele foi o único a ajudá-la quando de sua última overdose, ao levá-la para o hospital. Os dois se beijam e ela aceita sair com ele. Durante o encontro apaixonado que ocorre a seguir, ele lhe promete o seu intenso e eterno amor, e ela acredita em cada uma de suas palavras.

No entanto, em conversa com Evelyn Ames, uma atriz com quem trabalhara em seu último filme, Suzanne toma conhecimento que Jack está dormindo também com ela. Ainda vestida com o traje de policial uniformizada que usa em seu novo filme, Suzanne se dirige à casa de Jack e o confronta.

Ao voltar para casa, Suzanne toma conhecimento, através de sua mãe, que seu gerente de negócios havia fugido com todo o seu dinheiro. Depois de mais uma discussão entre as duas, ela vai ao encontro do diretor paternalista Lowell Kolchek, que lhe garante ter mais trabalho enquanto ela se mantiver limpa e sóbria.

Mais tranquila, ela retorna à sua casa, onde descobre que sua mãe acabara de bater com seu carro em uma árvore, após beber bastante vinho. Ato contínuo, corre até o hospital onde a mãe se acha internada. As duas têm uma conversa de coração para coração, enquanto Suzanne corrige a maquiagem da mãe e arranja um lenço para esconder um sangramento que manchara sua peruca quando do acidente.

Sentindo-se melhor, Doris enfrenta os jornalistas que aguardam notícias sobre seu estado de saúde. Enquanto isso, Suzanne vai ao encontro do Dr. Frankenthal, médico que cuidara de seu estômago quando de sua última overdose, oportunidade em que ele a convida para irem juntos ao cinema. Ela lhe agradece pelo convite, dizendo-lhe que ainda não se acha pronta para um novo relacionamento. Ele lhe responde afirmando que está disposto a esperar o tempo que for necessário.

A cena final apresenta Suzanne participando das primeiras cenas do novo filme de Lowell Kolchek.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Mike Nichols, a partir do romance e roteiro escritos por Carrie Fisher, “Lembranças de Hollywood” é um bom filme do cinema americano, graças, principalmente, às excepcionais atuações das atrizes Shirley MacLaine e Meryl Streep, a primeira no papel de uma mãe egoísta e cínica, uma antiga alcoólatra, enquanto Streep como a filha drogada que procura recuperar sua antiga glória.

Na direção, Nichols realiza um trabalho razoavelmente bom, contando principalmente com a bela fotografia de Michael Ballhaus e com o ótimo trabalho de edição a cargo de Sam O'Steen.

Na realidade, a trama é baseada na história real vivida pela atriz e roteirista Carrie Fisher e sua mãe, a também atriz Debbie Reynolds.

CAA