Filmes por gênero

A COLINA DOS HOMENS PERDIDOS (1965)

The hill
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A colina (Portugal)
La colline des hommes perdus (França)
La collina del disonore (Itália)
La colina (Espanha, Venezuela)
La colina de la deshonra (México)
Ein Haufen toller Hunde (Austria, Alemanha)
Kullen (Suécia)
Højen (Dinamarca)
Холм (União Soviética)
Pais: Reino Unido
Gênero: Drama, 2ª Guerra Mundial
Direção: Sidney Lumet
Roteiro: Ray Rigby
Produção: Kenneth Hyman
Fotografia: Oswald Morris
Edição: Thelma Connell
Direção de Arte: Herbert Smith
Guarda-Roupa: Elsa Fennell
Maquiagem: George Partleton
Efeitos Sonoros: A.W. Watkins, Peter Musgrave, David Bowen, Fred Turtle
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1966

Elenco

Sean Connery Sargento Joe Roberts
Harry Andrews 1º sargento Bert Wilson
Ian Hendry 2º sargento Williams
Ian Bannen Harris
Alfred Lynch George Stevens
Ossie Davis Jacko King
Roy Kinnear Monty Bartlett
Jack Watson Jock McGrath
Michael Redgrave Oficial Médico
Norman Bird Comandante
Neil McCarthy Burton
Howard Goorney Walters
Tony Caunter Martin
James Payne Homem na Prisão

Prêmios

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Fotografia Britânica (Oswald Morris )

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio de Melhor Roteiro (Ray Rigby)

Grêmio dos Roteiristas da Grã Bretanha

Prêmio de Melhor Roteiro Britânico de um Drama (Ray Rigby)

National Board of Review, USA

Prêmio NBR de Melhor Ator Coadjuvante (Harry Andrews)

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Direção de Arte Britânica (Herbert Smith)

Prêmio de Melhor Ator Britânico (Harry Andrews)

Prêmio de Melhor Filme Britânico (Sidney Lumet)

Prêmio de Melhor Filme (Sidney Lumet)

Prêmio de Melhor Roteiro Britânico (Ray Rigby )

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Sidney Lumet)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Durante a 2ª Guerra Mundial, o exército britânico mantém, no norte da África, um acampamento para disciplinar militares que tenham uma conduta reprovável, principalmente a deserção. Lá, eles são perseguidos pelo 2º sargento Williams, que os faz subir várias vezes, debaixo de um sol escaldante, uma colina construída artificialmente no meio do campo, até chegarem à exaustão. O sargento Charlie Harris é o mais humano dos guardas, mas o chefe do campo, o 1º sargento Bert Wilson, se recusa a desautorizar Williams.

Jacko King, um negro jamaicano preso por roubar três litros de uísque de um grupo de oficiais, recebe um tratamento especialmente severo por motivos de preconceito. Ele apoia o sargento Joe Roberts, preso por atacar um oficial superior.

Quando um prisioneiro mais fraco, George Stevens, não suporta a carga que lhe é imposta e vem a falecer, os demais ameaçam se revoltar. Inicialmente, a morte de Stevens é registrada oficialmente como um mero acidente, mas Roberts persuade o médico a testemunhar as condições desumanas a que eles são submetidos, na esperança de que os futuros prisioneiros tenham uma melhor sorte.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Sidney Lumet, a partir de um roteiro escrito por Ray Rigby, “A Colina dos Homens Perdidos” é um ótimo filme britânico produzido pelas empresas Metro-Goldwyn-Mayer e Seventh Art Productions em 1965. Sua trama, baseada numa peça de Ray Rigby e R. S. Allen, procura mostrar os dramas psicológicos vividos por um grupo de soldados britânicos, durante a 2ª guerra mundial, numa prisão localizada no norte da África.

Na direção, Lumet relaliza um excelente trabalho ao retratar a humilhação e a submissão do homem pelo homem. A fotografia em preto e branco, a cargo de Oswald Morris, é outro quesito que merece elogios. No elenco, Harry Andrews brilha no papel do 1º sargento Bert Wilson, seguido pelas ótimas atuações de Sean Connery, Ossie Davis, Ian Hendry e Michael Redgrave.

CAA