Filmes por gênero

QUARTOS SEPARADOS (1984)

Notre histoire
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Our story (USA, UK)
Nuestra historia (Argentina)
Geschichte eines Lächelns (Alemanha)
Nasza historia (Polônia)
Er det min - eller din - kone? (Noruega)
A mi történetünk (Hungria)
Kohtalo kiskoilla - meidän historiamme (Finlânia)
Нашата история (Bulgária)
Pais: França
Gênero: Drama
Direção: Bertrand Blier
Roteiro: Bertrand Blier
Produção: Alain Sarde
Design Produção: Bernard Evein
Música Original: Laurent Rossi
Fotografia: Jean Penzer
Edição: Claudine Merlin
Figurino: Michèle Cerf, Andrée Demarez, Marie-Françoise Perochon
Maquiagem: Françoise Andrejka, Jean-Pierre Eychenne
Efeitos Sonoros: Dominique Hennequin , Bernard Bats, Michel Kharat, V. Arnardi
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1985

Elenco

Alain Delon Robert Avranche
Nathalie Baye Donatienne Pouget / Marie-Thérèse Chatelard / Geneviève Avranche
Gérard Darmon Duval
Geneviève Fontanel Madeleine Pecqueur
Sabine Haudepin Carmen
Jean-François Stévenin Chatelard
Ginette Garcin Florista
Michel Galabru Émile Pecqueur
Philippe Laudenbach Sam
Paul Guers Clark
Jean-Louis Foulquier Bob
Jacques Pisias Fred
Vincent Lindon Brechet
Jean-Pierre Darroussin 2º passageiro
Bernard Farcy Farid
Michel Peyrelon Vizinho
Jean Reno Vizinho
Jean-Claude Dreyfus Vizinho
Christian Bouillette Vizinho
Jacques Denis Vizinho
Stéphane Boucher .
Nadia Barentin .
Eric Prat .
Sébastien Floche .

Prêmios

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Ator (Alain Delon)

César de Melhor Roteiro Original (Bertrand Blier )

Indicações

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Edição (Claudine Merlin )

César de Melhor Design de Produção (Bernard Evein )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Um homem solitário, Robert Avranche, viaja em um trem. Com seus quarenta anos, ele reflete sobre sua solidão e o vazio de sua vida. De repente, surge em seu compartimento uma bela jovem, Donatienne Pouget, que após contar-lhe uma história sobre os dois, se oferece para uma aventura sem compromisso, sem futuro.

No entanto, quando ela desce na primeira estação, Robert decide segui-la e, ao abordá-la, ela se irrita. Mesmo assim, ele não a larga até chegarem a uma pequena casa, estilo chalé, onde aparentemente ela vive. Embora goste de dormir com homens, Donatienne é apaixonada por apenas um, Duval, que, por sinal, se mostra indiferente a ela. Por outro lado, viciado em cervejas, Robert pede-lhe apenas algumas latas para seu consumo. No entanto, pouco depois, ele insiste em passar a viver com ela. Irritada, ela pede a Duval e à Carmen que o tirem de sua casa.

Ninguém entende o motivo que levou Robert a querer se instalar na casa de Donatienne. As coisas se complicam ainda mais  quando chegam um vizinho, Émile Pecqueur, e um outro homem que ela também conhecera no trem. Todos, então, são convidados para uma festa que tem lugar na casa de Émile, onde são apresentados à anfitriã, Madeleine. O encontro se mostra animado, mas depois de muita bebida e discussões, Robert termina sendo empurrado para a cama de Madeleine. Logo depois, ele sai à procura de Donatienne, mas não a encontra.

De volta à casa dela, ele encontra apenas uma desconhecida que lhe dá o nome de uma amiga de Donatienne, a qual poderá saber onde ela se encontra. Assim, indo ao local indicado, ele conhece Marie-Thérèse Chatelard e seu marido, ambos professores. Nesse encontro, o que lhe parece mais curioso é o fato de Marie-Thérèse parecer uma irmã gêmea de Donatienne, tamanha a semelhança.

Retornando ao trem do início, Robert se encontra em seu compartimento quando alguns amigos chegam para levá-lo de volta para sua casa, para que ele reencontre sua mulher, Geneviève, e seus filhos que ele os havia deixado.

imagem imagem imagem imagem imagem imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo cineasta Bertrand Blier,  “Quartos Separados” é um bom filme do cinema francês. Sua trama gira em torno de um alcoólatra de meia-idade, cuja vida vira de cabeça para baixo quando ele se torna obcecado por uma ninfomaníaca misteriosa cuja identidade muda constantemente.

Blier realiza um ótimo trabalho como roteirista e diretor. A bela fotografia de Jean Penzer é mais um ponto positivo dessa produção. No elenco, Nathalie Baye e Alain Delon estão ótimos em seus respectivos papeis, com destaque para este último que viu seu trabalho ser reconhecido com o Prêmio César de Melhor Ator.

CAA